Voice Chats Telegram e clubhouse

Por que o Clubhouse perdeu para o Telegram? Confira uma análise de Product Owner (PO)

O Clubhouse é uma rede social de áudio puro, disponível apenas para iPhone (iOS), e ainda está em teste beta. Para criar uma conta Clubhouse, ainda é necessário receber convites de contatos que já utilizam a rede social, o que torna o aplicativo mais exclusivo porque o número de convites é limitado. Mas ai já começa um possível erro.

O Telegram é o mensageiro da Rússia e se tornou cada vez mais popular devido a falhas de estabilidade dos lideres de mercado, Whatsapp e Facebook.

Agora que contextualizamos um pouco das ferramentas, podemos entrar no assunto de explosão do Clubhouse e por que ele chegou ao fim.

O início do fim do Clubhouse

Hoje atuando há quase um ano, especificamente como Product Owner, em uma empresa de sistemas, comecei a me atentar mais em lançamentos e estratégias de produtos como um todo. O PO, como também é chamado, é responsável por maximizar o valor resultante do produto desenvolvido. Sua principal responsabilidade é gerenciar o Product Backlog.

O Product Backlog é uma lista ordenada de funcionalidades, requisitos e tudo que é necessário em um produto.

Ou seja, com isso, ele é responsável por liberar funcionalidades de acordo com sua demanda e o público-alvo juntamente com estudos de marketing.

Quando paramos para analisar o que houve com o Clubhouse percebemos que foi feito um lançamento apenas para o sistema operacional IOs. Até ai tudo bem, afinal, lançar versões, exige recursos e sabemos que isso é limitado, portanto, sempre começamos com um MVP.

Mas aí vem uma explosão crescente da ferramenta e há quase um ano eles continuam com um público focado e exclusivo.

Dificuldades da ferramenta

Toda ferramenta precisa de fluxo continuo de uso para se manter. No caso da rede, é necessário produção de conteúdo ao vivo para manter uma audiência engajada. Porém, o conteúdo e os palestrantes possuem um limite contextual, logo, quando você limita a quantidade de usuários na ferramenta, o conteúdo começa a ser repetitivo e começa a gerar uma falta de interesse dos usuários.

Tive o prazer de acompanhar temporariamente salas exclusivas de profissionais de SEO e Marketing. O dia inteiro havia conteúdo, mas com uma semana, comecei a perceber uma certa repetição de assunto dos profissionais. O que é comum, pois, nem todo mundo participava de todas as conversas.

A falta de perspectiva de crescimento da ferramenta gerou uma falta de interesse naqueles que ainda nem estavam lá, pois, nem todo mundo quer ou pode usar um IOs. Afinal, Android é o sistema operacional mais usado do mundo, após o Windows.

Então, essa falta de perspectiva fez com que os usuários buscassem outros meios de interagir, e até outras ferramentas. Por sorte, não tiveram muita concorrência (na época).

A concorrência não perdoa

O Telegram foi uma rede em crescimento que não deixou passar. Não adianta você ter uma ótima ideia e não conseguir avançar nela. Infelizmente a concorrência é pesada e não vai permitir novos players com tanta facilidade.

O Telegram aproveitou uma semana de instabilidade dos usuários das redes do Facebook para fazer um lançamento de funcionalidades que replicam o uso do Clubhouse. Isso gerou uma facilidade enorme de canais já existentes da ferramenta engajar ainda mais seu público gerando facilidade na entrada de novos usuários, incluindo os de sistema operacional Android. Este é um poder do ecossistema de uma rede social já existente contra uma nova.

Logo, não consigo perceber que ainda haja chances de um crescimento alto do pioneiro no recurso de chat por voz. Mas não quer dizer que não consiga, mas terá que reconquistar os usuários com diferenciais muito bons além de mais acessibilidade da base que hoje é restrita.

Isso é uma lição de produtos, sejam físicos ou digitais. Nem sempre o primeiro será o melhor, mas sim aquele que consegue atender as necessidades de seus usuário com qualidade primeiro.

Funcionalidades do Telegram contra o Clubhouse

O Telegram soltou uma página descrevendo as novas funcionalidades que ficaram realmente interessante para os usuários, como a opção de gravar para depois.

Chats de Voz Ilimitados

Administradores de canais e grupos públicos agora podem ter chats de voz para milhões de ouvintes ao vivo. Não importa o quão popular a sua conversa se tornar, novas pessoas poderão sintonizar e ouvir. É como uma rádio pública reinventada.

Chats Gravados

Enquanto algumas conversas têm o destino de ser temporárias, outras merecem ser salvas e passadas adiante. Os admins agora podem gravar o áudio dos chats de voz para salvar conversas e publicar para os seguidores que perderam o evento ao vivo.

Levante a mão para falar

Nos chats em que participantes estão silenciados, os ouvintes podem tocar para levantar a mão e sinalizar aos adminstradores que eles desejam falar. É como ligar para um talk show, mas com animações viciantes.

Entrar Como… (outro usuário)

Ao entrar no chat de voz em um canal, os usuários têm a opção de entrar com a conta pessoal ou aparecer como um dos seus canais. Celebridades e figuras públicas podem usar isso para evitar chamar muita atenção para as suas contas pessoais.

Lembrando, esta é uma opinião baseada em informações disponíveis até hoje, com um ponto de vista de produto, mas tudo pode mudar a qualquer momento no mundo digital, não é mesmo?

Comenta ai o que você acha deste cenário!

Publicado por

Fábio G. Silva

Formado em Business Marketing pela Ohio University, Gestor de Pessoas pela PUC Minas, Especialista em Desenvolvimento Web pela PUC Minas e Produtor Multimídia pela UniBH. Atua como Consultor de Marketing Digital em empresas privadas de diversos segmentos e portes. Também aproveita o tempo livre fotografando pessoas e paisagens enquanto viaja o mundo e pratica esportes radicais. Fundador da Tricks (Guia Radical) e Digitow e blogueiro no CV do Fábio.