usabilidade-previsibilidade-foco-usuario

Previsibilidade e usabilidade na Internet

Os visitantes do seu site não devem precisar pensar no que fazer. Essa é a primeira lei da usabilidade de Steve Krug. Os comandos, as opções, os menus, enfim, todos os elementos presentes na página devem ser evidentes, até mesmo, para o mais leigo dos internautas. E este artigo visa entender que previsibilidade está ligado à usabilidade, principalmente nos meio digitais.

Steve Krug é especializado em arquitetura de informação e autor de “Don’t Make me Think”. Onde sua ideia principal é trabalhar o conceito de boa experiência em um website, um dispositivo eletrônico ou um automóvel, evitando a frustração das pessoas por não saberem ou não conseguirem utilizar algum recurso ou funcionalidade.

Obrigar as pessoas a pensarem quando chegam ao seu website é algo que consome suas energias mentais. Dessa forma, se encontrarem dificuldade para continuarem a navegação, não demorará até que muitos se sintam mentalmente exaustos e saiam, fazendo com que você perca sua audiência.

A verdade da leitura digital

Se você parar para refletir por um minuto, constatará que a MAIORIA (por que, sim, existem exceções) das pessoas não lêem uma página na internet palavra por palavra. Nós a olhamos, pulamos de uma parte a outra e clicamos no primeiro link que acreditamos ter o que procuramos.

Designers costumam propor layouts considerando que os usuários considerarão cada item presente na tela. Mas a melhor analogia é que, as páginas parecem mais com um outdoor a 100 km/h.

Reflita ao construir uma estrutura de informação

Quando vamos criar ou atualizar uma navegação digital é interessante trabalharmos com alguns conceitos que nos ajudarão a ajudar os leitores e usuários.

  • Entender que as pessoas nem sempre lêem todas as palavras e elementos contidos, então acrescentar muita informação, pode soar como poluição visual.
  • Você compreende onde está? Uma pessoa com o mínimo senso de localização consegue identificar onde está e para onde está indo a partir do seu conteúdo ou tela atual?
  • Crie elementos fixos e pontos de referências para chegar a um local comum e global.

Para uma estrutura de websites e blogs podemos considerar estes itens, imaginando que de repente uma pessoa caiu em sua página.

  • que site é esse? – ID do site;
  • em que página estou? – nome da página;
  • quais são as principais seções deste site?;
  • quais são as minhas opções neste nível? – navegação local;
  • onde estou no esquema lógico do site? – indicadores de localização;
  • como posso pesquisar e encontrar as informações que necessito?

Usabilidade

Segundo International Organization for Standardization, usabilidade é a medida pela qual um produto ou serviço pode ser usado por usuários para alcançar objetivos específicos com efetividade, eficiência e satisfação em um contexto de uso específico (ISO 9241-11).

Checklist para agregar uma boa experiência em usabilidade

  • Criar uma facilidade de aprendizado: a utilização do sistema requer pouco treinamento ou nenhum visando até ser previsível o uso baseado em outras experiências com o mesmo recurso;
  • Fácil de memorizar: o usuário deve lembrar como utilizar a interface depois de algum tempo. Ter pontos de “referências” para ajudá-lo a identificar suas ações;
  • Maximizar a produtividade: a interface deve permitir que o usuário realize a tarefa de forma rápida e eficiente evitando ações desnecessárias ou não tão importantes para o momento;
  • Minimizar a taxa de erros: Se ainda assim ocorrer erros, a interface deve avisar o usuário e permitir a correção de modo fácil e ensinando-o como não repetir de forma simpática e didática;

Sempre que construir algo, esteja pronto e disponível para testar e receber críticas. Não é necessário acatar a todas as recomendações sugeridas, mas refletir sobre elas e entender o real impacto que pode ter, é o mais importante para sua persona. Não olhe com seus olhos para sua “criação”, entenda como as pessoas o vêem para melhorar. Afinal, experiências trazem uma evolução constante.

Publicado por

Fábio G. Silva

Formado em Business Marketing pela Ohio University, Gestor de Pessoas pela PUC Minas, Especialista em Desenvolvimento Web pela PUC Minas e Produtor Multimídia pela UniBH. Atua com Marketing Digital em empresas privadas de diversos segmentos e nos tempos livres é fotógrafo, viajante no mundo, CEO na Tricks (Guia Radical), blogueiro no CV do Fábio e ainda pratica esportes radicais.